Depois de um tempo juntando dinheiro, chegou a hora de investir e abrir sua empresa. Mas é aí que pode surgir uma dúvida: optar pela franquia ou negócio próprio?

Cada uma dessas opções possui características particulares, mas também suas vantagens e desvantagens. Por isso, é preciso conhecer os dois modelos de negócios antes de tomar uma decisão –– e assim fazer a escolha mais acertada.

Pensando nisso, preparamos um post para ajudar você a descobrir o que mais combina com seu perfil. Vamos lá?

Qual é mais vantajoso: franquia ou negócio próprio?

O que se pode afirmar é que o número de franquias tem crescido consideravelmente, e o retorno que elas têm dado é bastante satisfatório. Isso é um indicador bastante positivo a favor desse modelo de negócio.

Mas antes de qualquer veredito, confira abaixo algumas comparações entre os dois padrões mais utilizados no mercado.

1. Reconhecimento de marca

Franquia: a vantagem aqui é trabalhar uma marca forte no mercado e com um público fiel. Isso facilitará as vendas, uma vez que as pessoas já sabem o que encontrarão na sua loja.

Negócio próprio: exige muito mais tempo. Afinal, será preciso começar do zero criando uma marca, fortalecendo seu nome e fazendo com que ela se torne popular. O fato de ser desconhecida também pode não atrair os consumidores, já que nem todos querem arriscar.

2. Suporte do negócio

Franquia: o franqueado recebe todo o suporte da franquia para entender qual o plano de negócio, descobrir os melhores pontos comerciais, a forma de trabalhar, entre outros tópicos. Todas as orientações são passadas de forma antecipada para que, ao abrir o negócio, ele esteja bem preparado para fazer uma boa gestão. Além disso, o suporte continua durante todo o período do empreendimento.

Negócio próprio: toda a preparação fica por conta do proprietário, que deverá correr atrás de suas capacitações. No caso de dúvidas, ele não possui a quem recorrer, sendo preciso contar com amigos ou contratar profissionais –– o que pode exigir um investimento alto.

3. Flexibilidade de trabalhar

Franquia: para ter uma franquia, é preciso seguir um padrão em relação à forma do negócio. Da decoração ao atendimento, tudo deve ser feito de uma determinada maneira, ajudando a fortalecer a identidade da marca. Nesse caso, não é possível colocar um “tempero próprio”.

Negócio próprio:empreendedor tem total liberdade para fazer como quiser. Ele determina o modo de atendimento, horário de funcionamento, o que será vendido, entre outros aspectos. Também cria suas próprias regras, que podem ser inovadoras e trazer sucesso ou arriscadas e não muito bem aceitas pelos clientes.

4. Investimentos e taxas

Franquia: conforme a regra de cada negócio, é necessário fazer um investimento inicial e pagar taxas correspondentes aos royalties e ao lucro. Entretanto, o custo dos produtos e matérias-primas são menores. Como são adquiridos em grande quantidade pela franqueadora, acabam refletindo nos custos de compra e, consequentemente, elevando os ganhos.

Negócio próprio: o investimento inicial é necessário em qualquer negócio, mas nesse caso não é preciso pagar nenhuma taxa mensal ou anual. Na hora de comprar os produtos, a desvantagem em relação às franquias fica por conta de que é mais difícil concorrer com elas em relação aos preços ofertados ao consumidor.

Agora que você conheceu melhor as vantagens e desvantagens entre um modelo e outro, esperamos que fique mais fácil decidir seu tipo ideal de empreendimento. Desejamos que faça uma boa escolha e se torne um empresário de sucesso em pouco tempo.

Por hoje é só, mas antes queremos saber de você: conhece outras vantagens e desvantagens entre a franquia ou negócio próprio? Fique à vontade para comentar.