Se você mistura finanças pessoais e finanças empresariais, saiba que não é o único, mas isso não significa que essa seja uma prática correta.

Esse comportamento é um deslize que muitos gestores e donos de negócios cometem e que pode trazer problemas bem complicados para eles e suas empresas.

No post de hoje, separamos algumas dicas bem fáceis de serem aplicadas e que vão ajudá-lo a resolver esse problema de uma vez por todas. Não perca tempo e confira!

Tenha contas separadas

A primeira coisa a fazer para desvencilhar a sua gestão financeira pessoal com a do seu negócio é ter contas separadas. Afinal, a pessoa jurídica é uma e a pessoa física é outra.

Por isso, providencie uma conta corrente para cada. Lembre-se de usá-las sempre de maneira separada, com as suas finalidades e os seus cartões respectivos.

Não adianta ter uma conta particular e pagar despesas do seu negócio por meio dela — e vice-versa. Portanto, não misture empreendedorismo com amadorismo.

Organize seus documentos financeiros

Por questões burocráticas — como declaração de Imposto de Renda e fechamentos contábeis —, para ter um melhor acompanhamento dos seus resultados e fazer planejamentos financeiros mais embasados, separe fisicamente os documentos que são seus e os que pertencem à sua organização.

Comprovantes de pagamentos, ordens de serviços, orçamentos e outros papéis devem ser divididos para que itens diferentes jamais se misturem.

Se você resolver tirar algum dinheiro do caixa, precisar de um troco ou realizar qualquer operação desse tipo, lembre-se de anotar a data e o valor envolvido na ação. Isso será importante na hora de fazer o fechamento do mês, permitindo que essa diferença seja devidamente contabilizada.

Separe as despesas

Muitos donos se enganam na gestão de negócios por não conseguirem fazer uma classificação correta das suas despesas e, dessa forma, confundem o que pertence ao empreendimento com o que é de cunho particular.

Trabalhar por centros de custo é uma ótima opção para fazer uma boa coordenação financeira e criar uma cultura de gestão mais eficiente, que não arruíne a sua oportunidade de negócio.

Assim, despesas de viagens para pesquisar um novo fornecedor ou um almoço com clientes nunca mais serão computados como gastos pessoais e nem a revisão do carro de passeio será considerada despesa da empresa.

Defina suas retiradas

Ter um pró-labore bem definido e programado ajudará você a se disciplinar para gerir melhor os seus próprios recursos.

Essa programação também auxiliará a sua organização a manter um fluxo de caixa girando dentro da previsão e sem descapitalizações inesperadas.

Talvez pareça um pouco difícil no início, mas depois de um tempo e um pouco de força de vontade, você vai reparar que não é complicado manter finanças pessoais e finanças empresariais separadas e bem controladas. Quanto mais cedo começar, mais rápido poderá colher os resultados.

Se você já passou por esse problema, tem alguma outra dica, dúvida ou se quiser compartilhar as suas experiências, deixe o seu depoimento no nosso espaço de comentários. Queremos conhecer a sua história!