Lançar uma franquia cujo controle é exercido por pessoas da família pode ser bastante vantajoso. Por exemplo, você tem a ajuda de mais pessoas para compartilhar ideias e estratégias, além de garantir maior confiabilidade. Mas abrir uma franquia em família exige cuidados.

É preciso estar tudo bem explicado e alinhado entre os familiares para evitar problemas de relacionamento entre franqueador e franqueado. Também, todos devem participar e entrar em consenso quanto à definição do ponto comercial da franquia alimentícia.

Mas a responsabilidade não para por aí! Acompanhe este texto e conheça maneiras de ter um bom ambiente de trabalho familiar no contexto de uma franquia alimentícia. Confira!

1. Investir em profissionalização administrativa

Muitas vezes, em uma franquia alimentícia em família, a parte administrativa é encabeçada por algum membro do próprio grupo familiar. Geralmente, isso acontece porque se tem o medo de deixar as decisões administrativas nas mãos de estranhos.

Isso pode não ser um problema, mas desde que a pessoa responsável tenha capacitação suficiente para o cargo que ocupa. Afinal, se a parte administrativa não é bem preparada e gerenciada, o negócio não vai andar bem.

Dessa maneira, há duas opções. Ou se investe na profissionalização do membro da família, ou, então, transfere-se a atividade administrativa para um profissional terceirizado. Se a segunda opção for a escolhida, deve-se manter um acompanhamento da execução das atividades. 

2. Não misturar finanças pessoais e empresariais

Quando o empreendimento é familiar, é comum confundir a pessoa jurídica, da empresa, com a pessoa física. Por exemplo, geralmente, membros da família pagam suas contas pessoais com a receita da empresa. Ou fazem refeições na franquia sem pagar ou sem fazer um controle.

Isso dificulta a contabilidade do negócio e pode até ameaçar o sucesso do empreendimento. Por isso, deve haver uma separação entre as duas coisas. Recomenda-se dividir os lucros entre os familiares, deixar tudo contabilizado e não interferir nas contas da franquia.

3. Separar os assuntos da empresa dos da família

É almoço de domingo e toda a família está reunida. Alguém levanta o assunto sobre a franquia familiar e começa uma discussão sem fim. Pronto! Nervos esquentados, e o dia de domingo vai pelo ralo.

Evite esse tipo de constrangimento. Assuntos sobre os negócios devem ser tratados em reuniões específicas da empresa. Não se pode deixar que as obrigações de trabalho atrapalhem os momentos de lazer em família.

4. Projetar uma visão de longo prazo para a franquia

As franquias alimentícias costumam ter um bom faturamento. Isso normalmente deixa os franqueados um pouco acomodados em fazer planos de crescimento em longo prazo. E aí está um erro sério.

É preciso pensar, por exemplo, quem vai administrar o empreendimento daqui a cinco, dez, ou vinte anos. As gerações vão se alternando, e esse tipo de preocupação deve entrar no planejamento para uma franquia de estrutura familiar.

Essas foram algumas dicas fundamentais para abrir uma franquia em família com sucesso. E como dissemos inicialmente, é importante que todos os familiares que fazem parte do negócio entendam as regras do franqueador. Afinal, esse tipo de empreendimento não é um negócio próprio e deve seguir um modelo predefinido. Com todos sabendo disso, são evitados os problemas de ingerência.

E aí, como você pensa em tocar uma franquia familiar? Conte para a gente deixando o seu comentário no post!