Em um cenário econômico complicado, como o enfrentado pelo Brasil nos últimos anos, é necessário estudar as possibilidades disponíveis no momento de realizar o sonho de empreender. Uma dessas alternativas para quem deseja tornar-se empresário é abrir uma franquia de baixo custo.

As franquias de baixo custo vêm apresentando resultados interessantes no país, prova do amadurecimento do setor. De acordo com o estudo inédito divulgado pela Associação Brasileira Franchising (ABF, 2016), o número de marcas que operavam com microfranquias era de 557 empresas, das quais 79,8% trabalhavam exclusivamente com franquias de baixo custo.

O modelo de microfranquias também demonstra consistência em seus resultados. Cerca de 31% das redes que operam exclusivamente com franquias de baixo custo possuem mais de 100 unidades.

No entanto, apesar dos resultados interessantes, é importante que o candidato a franqueado não deixe de se atentar a algumas dicas importantes!

1. Garanta que o franqueador oferece suporte

Uma das causas mais comuns na mortalidade franquias de baixo custo é a falta de experiência do investidor, somada com a inexistências de suporte do franqueador.

Antes de realizar o investimento em uma franquia de baixo custo, verifique com a franqueadora que tipo de suporte — com informações e/ou treinamento — ela oferece.

2. Verifique a necessidade de mão de obra especializada

Dependendo do segmento no qual a franquia opera, pode existir a necessidade de contar com profissionais especializados. Essa demanda pode representar um problema ao franqueado se ele não souber como realizar a contratação e nem o que analisar na hora de contratar.

Existem franquias de baixo custo que fecham justamente por essa razão.

3. Converse com pessoas que já investiram

Uma das maneiras mais rápidas de entender o negócio é conversar com quem já fez o investimento. Note apenas que é necessário compreender que, mesmo com todo o apoio da franqueadora, uma empresa pode fracassar. Por isso, analise cada situação de forma coerente, verificando onde o empreendedor acertou e falhou, do mesmo modo, analise as soluções apresentadas pela franqueadora.

Evite responsabilizar apenas um dos lados pelo sucesso ou fracasso, mas verifique como cada um lidou com suas responsabilidades.

4. Analise os resultados

Taxas de crescimento anteriores, taxas de mortalidade das empresas, expectativa de crescimento da marca — e do mercado no qual ela está inserida —, além de resultados de lucratividade, apresentam um panorama geral da situação da empresa. Considerar essas informações é fundamental no momento de decidir por uma franquia de baixo custo.

Esses dados podem revelar que a empresa já não representa uma alternativa segura de investimento, ou que pode não corresponder com a expectativa de retorno.

Franquias de baixo custo representam uma oportunidade interessante de investimento. É importante frisar que, dentre os diversos modelos de negócio existentes no Brasil, as franquias são as empresas que possuem a menor taxa de mortalidade.

Uma reportagem do Estadão mostra que apenas 3% das franquias fecham as portas no final do primeiro ano. No varejo, esse índice é de 23%. Os números estão ao lado de quem deseja investir em uma franquia de baixo custo, basta que o empreendedor tome cuidados básicos no momento do investimento.

Gostou do nosso post de hoje? Para receber mais informações sobre o setor, assine nossa newsletter!